Highline: um jardim suspenso em Nova York

April 19, 2018

Entre muitos parques espalhados por Nova York, o High Line se destaca pela sua arquitetura suspensa nas ruas do West Side de Manhattan e por toda intervenção urbana que acontece aos arredores de toda sua extensão.

Originado a partir de uma antiga linha ferroviária desativada, com trilhos a 10 metros de altura, o parque é fruto do trabalho do grupo “Friends of the High Line”, que transformou e cuida dessa estrutura histórica em um dos cantinhos mais interessantes da cidade de Manhattan, com uma espécie de mistura de parque com galeria de arte a céu aberto.

 

 

A via férrea de 2,6 km foi construída ainda na década de 30 e colocada em desuso a partir de 1980, situação que atraiu indivíduos relacionados a atividades ilegais e fez com que a prefeitura nova-iorquina propusesse a demolição das estruturas em 1999. Entretanto, como resposta, no mesmo ano Joshua David e Robert Hammond, sem qualquer envolvimento com arquitetura e planejamento, fundaram a Friends of the High Line, promovendo, em uma campanha, a conversão do espaço num lugar de repouso, contato com meio ambiente e prática de esportes.

 

 

Uma mudança na lei de Nova York, tornando o acesso do lugar livre ao público, foi o primeiro triunfo dos rapazes. Após o debate entre a sociedade e as autoridades da cidade, o governo municipal, em conjunto com a organização comunitária dos “amigos do High Line”, realizou o Concurso de Ideias, em 2003, no qual participaram 720 pessoas, compondo equipes de 36 países, e a Seleção de Design, em 2004, disputada por 52 times e vencida pelo projeto da empresa do designer James Canto Field e do escritório de arquitetura Diller Scofidio + Renfro.

Propriedade de NY, o empreendimento, com as primeiras duas fases da construção concluídas entre 2009 e 2011, já conta com 2,3 quilômetros de extensão. 

 

Sob a manutenção do Departamento de Parques e Recreação de Nova York (New York City Department of Parks & Recreation), órgão subordinado à Prefeitura, o espaço possui cerca de 300 espécies de vegetais, como gramíneas, arbustos e árvores, e gerou mais de 12 mil empregos. Com vista para o rio Hudson, o High Line foi visitado por 8 milhões de pessoas desde sua inauguração, tendo 3,7 milhões de frequentadores somente em 2012.

No ano de 2017, foi inaugurado, o terceiro e último trecho do High Line. Desde a inauguração do primeiro trecho, em 2009, o parque permitiu a seus visitantes estarem na metrópole sob uma nova perspectiva. E isso não apenas porque antiga linha era suspensa e, assim, originou um passeio elevado com cerca de 30 metros de altura, mas também porque uma nova forma de convivência foi criada.

 

 

O High Line oferece um extenso calendário de eventos que inclui shows, performances, instalações artísticas, degustação gastronômica e atividades infantis. A paisagem é outro ponto instigante, pois cada pedaço tem uma vegetação distinta e trilhas diferentes. Intercalam-se hortas, bancos de madeira de demolição, mesas de piquenique, arquibancadas de concreto e antigos trilhos aparentes. Inicialmente concebido para receber 200.000 pessoas por ano, o High Line contabiliza 5 milhões de visitantes ao ano.

Com a ampliação ocorrida, após a inauguração do novotrecho, o parque ganhou a vantagem adicional de se transformar numa via expressa de pedestres, que encontraram um meio prazeroso de cortar caminho e evitar a espera de semáforos.

 

Tags:

Please reload

#ENTRE EM CONTATO

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco

2018 - FAZ FIGUEIREDO E ASSOCIADOS TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

CREATED BY

AGÊNCIA STILO